Domingo, 9 de Março de 2014
Comentário aos 30 investimentos prioritários

De facto Portugal, e os Portugueses também, precisam de aumentar o mais rapidamente possível a sua produção e obviamente reduzir as despesas improdutivas, o que implica a verdadeira reforma do Estado e não a tolice dos cortes que nem cegos são, para poderem pagar o que devem e passarem a viver melhor.

 

Entretanto o grupo responsável por este trabalho, que se esperava tivesse esta introdução como base para o seus 30 investimentos prioritários (porquê 30 ? qual o critério desta auto limitação?), tratou particularmente dois investimentos de forma a merecer este comentário.

 

O primeiro por ausência, seja ela causada por preconceito, ignorância ou outra razão qualquer que desconheço, pois o setor da náutica de recreio que de certeza criaria bastante mais postos de trabalho permanentes com menos investimento público que qualquer dos investimentos indicados e em muito menos tempo, nem uma linha de atenção mereceu.

 

E quando afirmo isto, é porque há projetos concretos que criarão alguns milhares de postos de trabalho que aguardam há largo tempo as decisões indispensáveis de Autarcas e Governantes.

 

Mas pelos vistos com este tratamento dado aos investimentos na economia do Mar já se entende por que razão não foi dada ao Secretário de Estado do Mar a necessária autoridade para decidir o que é essencial fazer neste setor.

 

O segundo por excesso porque tendo sido indicado o novo terminal de contentores em Lisboa, há o maior interesse e curiosidade em conhecer a sua estrutura de funcionamento e de sustentabilidade, incluindo a sua contribuição para a criação de postos de trabalho e de riqueza para os portugueses, comparando-o obrigatoriamente com possíveis investimentos alternativos.

 

 

Ainda por cima sabendo-se que uma das causas para a construção deste novo terminal destinado aos novos navios panamax, relacionada com a estrutura internacional deste tipo de transporte, deixou de ter relevância.

 

 

Lisboa, 7 de Março de 2014



publicado por JoseViana às 12:10
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

A austeridade e as confus...

Turismo: atividade económ...

As ausências de Portugal ...

Alguns esquecimentos impo...

Atenção eleitores, temos ...

Como baixar a abstenção

O Forte de Peniche e a ve...

Agora é preciso crescer!

Um referendo e a falência...

Energia vs água: mais doi...

arquivos

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Março 2017

Janeiro 2017

Outubro 2016

Setembro 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Novembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Contador de Visitas
blogs SAPO
RSS