Segunda-feira, 14 de Março de 2016
Desabafo ambiental e financeiro

Ontem, domingo, fui a Tavira e vi finalmente as obras realizadas nas Quatro Águas e daí resultou este desabafo porque as pude apreciar.Mas antes de vos apresentar os meus comentários, i.e., o dito desabafo, quero esclarecer dois ou três pontos que julgo essenciais para que ele seja melhor entendido: as Quatro Águas é um local situado na Ria Formosa que é uma zona lagunar em que deve ser evitado o uso do betão e da pedra porque o excesso de peso afeta o equilíbrio do solo, isto portanto do ponto de vista ambiental, depois do ponto de vista económico e social a Ria Formosa tem um potencial de criação de postos de trabalho sustentado em atividades náuticas o que implicaria não só manter a rampa de acesso ao mar mas até melhorá-la e organizar inteligentemente a movimentação e o estacionamento dos respetivos veículos e por último é essencial reduzir o acesso de automóveis apenas aos utentes das atividades náuticas e dos restaurantes e por último o princípio da gestão eficiente de gastar apenas o que for essencial.

Dito isto, o que fui encontrar?

Uso de betão e de pedra não só a mais onde talvez fosse preciso mas em quase todo o local onde não era preciso. Seria excelente que os responsáveis por estas decisões visitassem as zonas lagunares em Inglaterra para aprenderem a forma correta de tratar estas questões. Além disto o desenho das esplanadas sem qualquer respeito pela segurança dos seus utentes e a utilização de materiais caríssimos, de duvidosa duração e descabidos para uma zona lagunar, demonstra carências cognitivas graves em qualquer circunstância mas gravíssimas na atual situação.

Entretanto o desprezo pelas atividades náuticas patente deveria ter sido objeto da mais veemente oposição dos Tavirenses pois elas são certamente as mais promissoras para a recuperação económica deste Município, embora neglicenciadas desde longa data pelos seus responsáveis autárquicos que sempre recusaram tomar as decisões corretas.

Por último a ausência de organização dos parques de estacionamento e do trânsito automóvel e do acesso à praia da ilha. E tudo isto perante o silêncio e a passividade dos Ministérios do Ambiente e da Economia.

Os responsáveis pelas decisões que originaram não só os gastos excessivos e não permitiram a criação de inúmeros postos de trabalho, nas circunstâncias atuais em que milhares de portugueses passam fome, deveriam no mínimo ser despedidos dos seus cargos já que a nossa justiça ainda não tem meios para os colocar no lugar para onde vão os que não cumprem a Constituição e prejudicam a população.

Lisboa, 14 de Março de 2016         



publicado por JoseViana às 13:51
link do post | comentar | favorito

2 comentários:
De francisco g. de amorim a 14 de Março de 2016 às 19:32
Só resta pedir ajuda à Síria!!! Ou ao Sudão!


De José Lúcio Almeida a 15 de Março de 2016 às 10:09
Ainda não vi as obras, terei de ir lá vê-las no fim deste mês, quando for novamente a Tavira. Mas gostei do eufemismo usado para chamar burro a quem projectou as obras: carências cognitivas graves !
José Lúcio Almeida


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

A austeridade e as confus...

Turismo: atividade económ...

As ausências de Portugal ...

Alguns esquecimentos impo...

Atenção eleitores, temos ...

Como baixar a abstenção

O Forte de Peniche e a ve...

Agora é preciso crescer!

Um referendo e a falência...

Energia vs água: mais doi...

arquivos

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Março 2017

Janeiro 2017

Outubro 2016

Setembro 2016

Junho 2016

Maio 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Novembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Contador de Visitas
blogs SAPO
RSS